Eu Li: Coffeehouse Angel

 
Não sei bem há quanto tempo esse ebook estava no meu celular, e acho que demorei cerca de um mês para concluí-lo, e sem contar que faz anos que tenho ele no meu computador... A única coisa que sinto hoje é não ter lido antes.
A mensagem que esse livro contém é muito especial e não deve ser disperdiçado. Apesar dessa coisa toda de anjo já está dando nos nervos e não me agradar mais nem um pouco, Malcolm vai fazer você querer ter um anjo da guarda assim... super do bem! rs

Katrina vive em Nordby com sua avó que é dona de uma cafeteria chamada "Mundo Escandinavo da Anna". Ao estar numa manhã normal de trabalho, fora a chuva copiosa que caia lá fora, Katrina vê um homem sem-teto dormindo no beco atrás da cafeteria, então decide lhe deixar uma xícara de café, um saco de chocolate com grãos de café e alguns bolos ao seu lado.
De acordo com pessoas normais, esse ato tem por nome "Boa Ação", coisa que poucas pessoas fazem hoje...
Este adorável vagabundo, Malcolm, é realmente um anjo da guarda, em um descanso entre missões. E ele não pode seguir "viagem" sem recompensar Katrina por seu interesse, lhe concedendo seu desejo mais profundo.
"- Oh. Você quer dizer que quer me recompensar? Você não precisa me pagar.
- Pagar você? Eu temo que não tenha nenhuma moeda. - ele sorri. - Estou aqui para lhe dar o que você mais deseja".
Okay. Alerta: estranho."
Com 16 anos, realmente concordo que Katrina deveria ser recompensada. Ela é muito boazinha. Vive obedientemente com a vó, que cuida e preza. Ajuda num lar para idosos. Tem uma vida calma, sem muita agitação. Tem amigos muito saudável (tá exagerei, tem a louca da Elizabeth). No geral, é sim, mas só se formos excluir o ódio mortal que ela sente por Heidi Harling, a patricinha que está por todos os cantos da escola. E o Java Heaven, que é o café que o pai da Heidi é dono.
Seus amigos, Vicent e Elizabeth, tem um papel importantíssimo na sua vida. Vicent é o amigo para todas as horas, parte da equipe de natação - o que me deixou horas imaginando o cabelo dele molhado após os treinos, pq a Katrina fala muito nisso e eu sou louca por cabelos lisos que caem no rosto, especialmente se forem cabelos masculinos rs. Não tem como não gostar dele... #interesseira

Já Elizabeth é aquela amiga crazy, que te faz dar altas gargalhadas com seus pensamentos mais loucos. Não deixa passar uma sequer, fala mesmo... e vê-la apaixonada é muito cômico.
"- Face está sentado ali.
Elizabeth me informa. Ela sempre sabia exatamente onde Face estava sentado. Você pensaria que ela tem um GPS no traseiro dele ou coisa assim.
- Face é tãoooooo fofo.
Ela diz isso pelo menos quatro vezes ao dia. Face era o codinome que ela dava para David Cord. Ela não quer que ninguém saiba que ela tem uma paixão  assassina por ele."
Uma coisa interessante na Katrina é a lealdade que ela sente pelo amigos, e como gosta de ver a mesma coisa da parte deles. Mesmo que às vezes ela faça umas regras muito doidas guiada apenas pelo ciúme, mas vale a pena conferir o que digo.

Outro aspecto da vida de Katrina que não gostei é que ela inveja os amigos. Não aquela inveja louca, mas por às vezes não saber o que quer e ver seus amigos indo por caminhos certos, compadece de si mesma, nunca vendo nada de bom nela. Não gostei disso! Eu me sinto assim às vezes, mas é muito estranho ver outro se lastimando, reclamando, se sentindo uma fracassada. O fato dela ser muito dependente de outros e nem um pouco autosuficiente me deixou muito desanimada, mas aí fiquei pensando em como ela é adolescente, e tentei desculpá-la por essa "falha" de personalidade. Quem sabe quando amadurecer e tiver mais confiança!
"Eu tinha uma vida. Estava caindo aos pedaços, mas era minha."
Malcolm não é o anjo que vemos nos livros por aí, e nem aquela figura loira de cabelos enrolados. Ele tem cabelos longos (eca!) e usa um Kilt (saia escocesa) com botas. Gostou?
Não há nada de extraordinário nele, além de ter um perfume bom e passar tranquilidade para aqueles que estão ao seu redor. Ele é ele mesmo. Sem floreios e ponto final.
"Felicidade é mais doce quando é compartilhada. Vincent tinha sido sempre uma parte de minhas memórias mais felizes. Quanto de nós precisávamos ser lembrados que a vida não tem nada a ver com tentar ser tão bom quanto alguém, ou tentar se encaixar em alguma categoria, ou preencher os espaços em branco em alguma lista estúpida. Isso não tem nada a ver com se punir por erros passados.  Você pode se acostumar com qualquer coisa, se você colocar sua mente nisso!
"Ela se mantivesse uma mulher de poucas palavras, as palavras que ela escolhia eram dignas de um lugar neste mundo."
"Coffeehouse Angel" me ensinou que não sou uma fracassada, a não ser que eu queira ser; não se perder nada se você não luta por seus objetivos. Que sempre vou precisar de amigos na minha vida, e que a quantidade de amigos não é o segredo mas sim a qualidade. Perdão é para os fortes, e para aqueles que não vê a extensão de uma estrada mas sim como percorrê-la sem machucar ninguém.
Uma vez conversando com uma amiga falávamos sobre como os livros chegam até nós. Explicava a ela que meu relacionamento com os livros era muito estranho. Porque quando vejo um livro e gosto, vou no encalço dele. É como se fosse uma atração, e eu simplesmente os persigo tendo a única certeza de que vou gostar.

Lembro do trecho que me fez amar "Coffeehouse Angel" e perceber que ele tinha ido parar nas minhas mãos no momento certo. E foi mesmo, e no final deu tudo certo! E espero que você leitor e amigo, consiga ver a linda mensagem que Suzanne Selfors deixou nessas páginas!

Eu Li: Rules of Attraction

 
"Todo mundo merece uma segunda chance", esse com certeza é o lema dos livros da Simone Elkeles, especialmente essa "Trilogia" dos Chicos Fuentes rs

Não muito diferente de seu irmão Alex, Carlos é um rebelde mexicano que nasceu envolvido com o narcotráfico por "herança" de seu pai que era parte dos Latinos Blood. Mas agora ele se encontra em Chicago com uma nova oportunidade para recomeçar.

Todo mundo sabe como sou apaixonada pelo Alex e do seu romance com a Brit - tá, não só isso, eu sou APAIXONADA por "Química Perfeita" inteirinho - e infelizmente não senti muito conexão com o Carlos. Não consegui entender bem o porquê pra falar a verdade. Eu li, e até curti algumas passagens do livro mas não me empolguei com sua visão da vida e muito menos com o seu entusiasmo em viver.

Se fiquei super down com o Carlos, em contrapartida, a Kiara me animava a cada capítulo onde ela era a narradora (porque o livro ainda continua como o primeiro, um capítulo para cada personagem).
Muito espirituosa, batalhadora, divertida, e não dava demasiada importância em como as pessoas a viam ou até mesmo lidavam com sua "imperfeição".

Fofura também foi os componentes da Família Westford, a família da Kiara. Que vida familiar linda. Um verdadeiro exemplo!! Onde todos tiram tempo pra ficar juntos, se divertir, com uma comunicação aberta, ou seja, são verdadeiramente o que uma família deve ser: UNIDA!

Uma coisa que me irritou muito foi como ele fazia pouco caso da relação amorosa entre Alex e Brit: já imagina né, um cara muito pouco romântico. Aliás, meu casal preferido aparece muito nesse livro, o que me deixou eternamente feliz...
"Não gosto da Kiara. E a última coisa que quero é uma relação saudável... eu não estou muito convencido de que exista uma relação saudável"                 odeio esse cara!
Tuck é um amigo muito gracinha. Ele é o chicletinho ambulante da Kiara, e gay. E foi responsabilidade dele as melhores tiradas cômicas e é o próprio que inventa as tais "Regras da Atração", então já deu para imaginar né... rs
E tem o Ram, que tem alguma coisa na cabeça e dá uma super força para o Carlos nos momentos mais difícieis.

A parte do romance ficou todo a cargo da Kiara (tadinha!). Teve momentos que morri de pena dela por definitivamente ela era muita coisa pro (insenvível) do Carlos. E o quote mais fofo é dela:
"Me vejo sonhando com ele ao despertar, na escola quando algo me faz lembrar dele, e quando durmo à noite [...] só em pensar nele ilumina meus dias. Quando joga com meu irmão vejo um lado doce que não mostra ao mundo. Quando me beija noto sua desesperada necessidade de afeto. Sei que Carlos tem boas coisas e por isso sei que me sinto unida a ele como nunca senti com ninguém."
Fiquei feliz de Carlos ter uma chance como Alex teve, e ter encontrado mais do que julgava ser possível. Vou esperar ansiosa a versão em português da Editora Underworld de "Rules of Attraction".

E que venha "Chain Reaction", let's go! rs

Turnê Literária - Tô dentro!!

 
Hoje com muito carinho, tenho o prazer de apresentar a vocês queridos leitores, a mais nova união entre autores nacionais.
Oito autores se reuniram com o objetivo de divulgar a literatura nacional, que se encontra em expansão no nosso território e fora dele também. Esse projeto propõe transformar o público leitor mais participativo, interessado e consciente.
Como leitora e blogueira, tive a grande honra de conhecer muitos autores nacionais que tem um talento excepcional, e pude expandir meus horizontes literários, e também conhecer o vasto catálogo de obras nacionais. Com essa oportunidade que me dei, pude julgar muitos deles, através desse talento emocional que é escreer e atestei a qualidade de muitos deles. Entre elas, uma autora dessa Turnê Literária: Adriana Brazil.
Então vamos conhecer mais sobre esse grupo:


  • O que é a Turnê Literária?
É a reunião de oito autores nacionais, que tem por objetivo fazer a literatura nacional ser ainda mais conhecida, admirada e propagada pelos quatro cantos do Brasil.
  • Quem faz parte do grupo?
O grupo é formado pelos autores: Adriana Brazil, Mallerey Cálgara, Vanessa de Cássia, Lu Piras, Fernanda Belém, Maurício Gomyde, Ricardo Valverde e Gilson Pinheiro.
Você gosta de música? A Turnê Literária conta com a participação especial do Cantando Livros em seus eventos. Não conhece? Esteja presente para conferir! :D

Muitos desses autores e suas obras são bem conhecidos, como a Adriana Brazil, Maurício Gomyde, Lu Piras e a Fernanda Belém. Aproveite, leitor, para conhecer todos os outros escritores. Eu com certeza farei isso!! E você terá tal oportunidade mês que vem, dia 26 de Maio.

Sábado, 26 de Maio - às 16hs
Local: Botafogo Praia Shopping - Botafogo - RJ


Maiores informações, esteja sempre conectado com a Turnê Literária (site) e também no Facebook.

Nós que gostamos de ler, viajar, ir ao encontro das emoções, no imaginário, no impossível, além de transformar a nossa fantasia em realidade; venha ao encontro desse evento porque esses autores estão "Levando Histórias nessa Turnê Literária"

Eu Li: Love Story

 
Lendo a sinopse fiquei pensando em como a Jennifer iria montar esse livro, e fiquei muito tensa achando que o resultado seria ruim. Porém, não foi nem um pouquinho! Graças a Deus, uffa!

Uma dica: se você leu "Longe Demais" e "Como Fui Esquecer Você" e está querendo encontrar uma história parecida com aquela, tire seus cavalinho da chuva. "Love Story" foi o enredo mais diferente que já vi na minha vida. E quando digo "diferente" não quero dizer ruim, péssimo não tá. Só que é surpreendente, intenso e muito reflexivo (o que me faz amar cada vez mais um livro!).

Comecei achando a Erin muito tensa, muito certinha e dando uma de coitadinha. Já Hunter é um cara difícil de se ler, nem a Erin consegue. Passam muito longe de ser aquele casal fofo e super apaixonado.

Partindo desse ponto já dá pra perceber o esforço que fiz para isso. Foi muito diferente para mim não ver os sentimentos dos personagens que eu queria tanto conhecer estar ali exposto e à mostra. Nem eles se conheciam, nem sabiam o que queriam nem da vida, e ainda tinha a incerteza do futuro. Mas esses fatores não deixa o leitor alienado não, pois com o transcorrer da leitura Erin vai se mostrando mais e vamos decifrando tudo que aconteceu entre eles. E tudo vem à tona quando os dois estão numa mesma sala de aula escrevendo sobre tudo o que está entalado e oculto um do outro há anos.

"Love Story" foi sobre se conhecer, revelar seu interior, resolver problemas do passado, se re-apaixonar. E não posso deixar de comentar a paisagem maravilhosa de Nova York descrita. É como se o leitor tivesse de férias nessa linda cidade: Estátua da Liberdade, Empire State Building e a Quinta Avenida. E não tem como deixar de citar personagens maravilhosos como a Summer, Manohar, Jordin e o professor Gabe.

Os livros da Jennifer Echols sempre serão para mim aquele tipo de livro que deve ficar sempre por perto para você reler quando tiver muito afim, ou de repensar sobre algo. "Love Story" foi ESPECIAL e com certeza estará com várias estrelinhas fofas e um coração lindo como FAVORITO. Ela mostrou mais uma vez que consegue surpreender o leitor com uma história criativa e com conteúdo, sem ser clichê e cômoda.
"Eu queria muito bater nele. Ou beijá-lo. Mas não deixávamos transparecer nada de emoção que havia entre nós, camada sobre camada, as de cima esmagando as de baixo com uma enorme pressão [...] mas eu teria que desvendar essas camadas quando estivesse sozinha com ele."
Somente um ponto negativo para a Editora Pandorga que precisa colocar o livro novamente na revisão. Existem muitos pontos em que a leitura se torna desconexa e diálogos que precisam ser melhorados e muitos erros gramaticais.

Estou aqui mais que preparada para o próximo livro dela que sai esse ano: Such A Rush!

Eu Li: Liberte Meu Coração


Esse livro tem uma capa maravilhosa e muito convidativa para qualquer leitor que gosta do gênero Romance Histórico se deliciar. E foi o que eu fiz! Gostei muito de "Liberte Meu Coração" e fiquei mais feliz ainda por ter sido esse o primeiro livro que tenho a oportunidade de ler da Meg Cabot, pois a história de Finnula e Hugo me troxe contentamento.

Vou ser super sincera e dizer que não achei nada "Oooohhhhhh!" na escrita dela. Achei que a livro teve seus altos e baixos, em alguns capítulos eu estava super entretida, e em outros era mortalmente maçante. Porém, com uma visão geral de tudo o livro foi muito BOM para que se propôs.

Finnula Crais é uma jovem aventureira, fora do convencional mas que tem uma reputação a zelar... É a única da família de 6 mulheres que usa calças, vive trotando com sua égua, Violeta, e que caça com um arco e flecha. Com um feminismo acima da média, é muito falante e ajuda os habitante da sua cidade que são "violentados" com altos impostos e a falta de suprimento para subexistir.

Mas quando sua irmão que é solteira gasta todo o dinheiro do seu dote com coisas frívolas e acaba ficando grávida, elas planejam um sequestro para recuperar o dote e ajeitar a vida. Sendo o alvo de tal ato o Conde Hugo Fitzstephen... aí você já pode imaginar as consequências dessa ação né!

Pensei que talvez Meg Cabot devia estar muito bêbada quando colocou o nome de sua protagonista de Finnula. Meu Deus, que nome horroroso!!! Eu tive que me controlar para não cair na risada toda vez que lia esse nome no decorrer da leitura. Será que não tinha um outro nome... tá, eu devo estar perdendo alguma coisa por não ter lido a Série Diários da Princesa que explica alguma coisa a mais sobre porque a Princesa Mia escreveu essa história. Mas fazer o quê né! rs

Hugo Fitzstephen é um cavalheiro admirável, mas senti muito falta dele ter uma personalidade mais cativante. O achei muito passivo, faltou algo... talvez mais vivacidade, personalidade. Acho que esses romances estão me deixando um pouco exigente.
Mas ele é um personagem interessante, e com uma vida diferente. E o modo como ele se apaixonada pela Finnula é muito fofinho.
"Qual era o problema? Quem era essa tal de Finnula Crais que o tinha deixado tão nervoso com um único olhar? Centenas de mulheres olharam para ele na vida, e ele nunca tinha reagido assim antes [...] O que havia com aquela ruivinha astuta e ridiculamente vestida que o fizera ir atrás dela como um gato atrás de uma gata no cio?"
"Eu realmente acho que não foi a razão que perdi, donzela Crais, mas meu coração.

Finnula te faz ficar grudada na história. Ela é totalmente imprevisível, nos chocando com seus pensamentos e ações. É hilária com seu jeito espivetado e em outros com seu jeito pudica; mandona e meiga. O jeito dela pouco convencional foi o que mais me agradou porque ela foge daquele molde de que a mulher antiga devia saber cozinhar, costurar, tricotar, cuidar impecavelmente do lar onde vive. Ela é o oposto disso!
"Bem, é bom que você saiba que existem algumas mulheres que também não se importam com o casamento! E eu sou uma delas! Estou dizendo para você exatamente agora que seria uma esposa deplorável. Não sei costurar, não sei limpar e sou um desastre na cozinha. Sairia de casa toda madrugada para caçar durante o dia inteiro e voltaria para casa a noite cheia de lama e cansada, e vou estar com uma aparência tão ruim [...]"

E o que me deixou radiante é que esse livro não termina com um "Felizes Para Sempre, ele conta sobre o "Felizes Para Sempre", que tem uns contratempos, adaptações no meio disso tudo, e que faz tudo ficar melhor. :)

Eu Li: Além dos Sonhos



O que há além dos seus sonhos?
É com essa pergunta que a protagonista desse livro se depara todos os dias. Para Brenda de apenas 17 anos sua realidade não é fácil. Sua baixa estima é das mais declináveis possível, tem um pai agressivo, uma avó preocupada, sofre com a ausência da mãe e uma situação financeira delicada.
Seu refúgio seguro e certo são Megan, Gustavo e Fernando: amigos inseparáveis, que estão em todos os momentos, seja os mais alegres ou aqueles em que está mais precisando de força.
Mas existe um lugar que pra Brenda é o melhor de todos. Seus sonhos. É lá, em que se encontra da maneira que sempre ansiou: sendo bonita, rica, tendo a mãe ao seu lado e com amigos de longa data.
Mas será que isso é o suficiente?

"Além dos Sonhos" é aquele livro inspirador. Até porque com uma escritora talentosissíma como a Adriana Brazil, não esperava menos que isso.
Personagens bem construidos, uma diagramação de profissional, e ainda com direita a lindas butterflyz no ínicio de cada capítulo... nem preciso dizer que AMEI né! rs
Brenda é uma personagem fofa, muito real e tenho certeza que muitas jovens se identificarão com ela (eu me identifiquei!). Um jeitinho doce de ser, mas que tem em seu interior lindos sonhos e muita força de vontade mesmo com a vida conturbada e em meio às discussões com o pai.

Ao desejar que sua vida seja diferente passa a entrar num novo mundo em que seus sonhos mais íntimos se tornam realidade. Então, a única pergunta que terá que se confrontar é: QUE ESCOLHA FAREI? E nesse meio tempo, você leitor, encontrará muitas mensagens maravilhosas nos capítulos conforme for lendo e se deliciando...

Quanto ao romance, é uma das minhas preferidas, já na sinopse e na contra-capa que quote lindo encontrei.



Com a amizade inestimável que sente por Fernando, Brenda se sente protegida e não imagina seu mundo sem ele. E mesmo não notando o interesse do rapaz, ele é fofo e se tornou meu queridinho com todas aquelas qualidades encantadoras que só um personagem mesmo pra ter... rs !!

Uma novidade: as músicas!!! Ownnnnnn, não poderiam ser mais bonitas.
A Dri, teve a ideia genial de colocar algumas canções enquanto ia escrevendo, e ficou a coisinha mais fofa do mundo. Amei as escolhas pois são minhas preferidas: Taylor Swift e Colbie Cailat. Mas como eu sou uma pessoa do contra, acabei pensando em outra música enquanto lia, mas tem motivo tá, é porque fala de borboletas e não poderia ser outra senão Mariah Carey. Amooooooo...
(...) Lembro de você quando vejo borboletas....


"Além dos Sonhos" é um livro super recomendado. Poucas páginas mas que tem um efeito devastador, divertido e encantador. Adriana me inspirou a viver no mundo real, que por mais que não tenha toda a fantasia dos sonhos, é onde eu conheço pessoas maravilhosas que tornam minha vida mais especial e me fez acreditar ainda mais na magia que é o amor. "Porque o amor é mais real do que se imagina"...

Obrigada querida amiga, por mais uma oportunidade de conferir seu lindo talento!