Eu Li: O Pássaro

 
Numa sociedade em que reina dois lados opostos - os abastados e os pobres - regidos pelo mesmo objetivo: viver suas vidas, ficamos encantados com um linda história.
Enquanto os menos afortunados querem apenas a dignidade que lhes foi tirada, os da alta sociedade tem apenas um "nome" a zelar, independente de quem precisem pisar.

Nesse incrível mundo de "O Pássaro" criado pela autora Samanta Holtz que encontramos Enézio Mondevieu, o barão, que apesar de muitas terras e serviçais, é autoritário, tempestuoso e frio. Nem sua linda esposa, Antonelle Mondevieu, escapa de seus momentos de impiedade. E quando vieram as filhas - Elizabeth e Caroline - nada mudou.

Elizabeth segue de forma submissa e calada os mesmo passos da mãe, consentindo mesmo quando não quer. Caroline é o oposto das duas, quer mudar o que vê de errado, é comunicativa, quer ser livre e é nela que o livro se concentra, apesar de conhecermos bem intimamente outros personagens através dessas muitas páginas.

O mundo de Caroline passa a ter um nova visão após um breve diálogo com Bernardo onde ele abre seus olhos, dirigindo seu olhar para a realidade que ela até então desconhecia. Depois disso, tudo o que Caroline anseia é viver livre das amarras que lhe foram impostas, quer ser dona das suas próprias escolhas.

Depois desse encontro impactante, somos conduzidos numa linda trajetória de escolhas, até vermos Caroline atingir seus objetivos. Mesmo tendo que traspassar caminhos suntuosos onde nunca imaginou estar, faz isso de uma forma corajosa e firme. Vê-la se transformar de um jovem sonhadora à uma mulher que vai atrás do que quer, não tem preço. Torci muito por ela!
"E se aquilo que eu almejo, na verdade, estiver um degrau abaixo de onde estou?"

Sempre digo que não tenho fé na humanidade porque apesar de sermos os únicos seres pensantes e capaz de expressar suas ideias nesse planeta, poucos fazem isso. Mas Elizabeth e Antonelle me mostraram que pessoas mudam, se tornam melhores, evoluem. (Estou sim levando em conta que elas viviam no século XVIII e que foram criadas para ser um objeto de decoração - mas nem por isso deixam de ter um cérebro - e tinham de "existir" à sombra de um homem, e isso não me enche os olhos pois isso não é viver!) Quando essas lindas mulheres mudam suas próprias vidas, seguindo o exemplo de Caroline, decidindo alçar voo foi simplesmente fantástico.
"Passava as tardes lendo qualquer coisa proibida a ela - "Mulher não pensa, para que haveria de ler?" - ou fora de casa, em assuntos também exclusivamente masculinos"  que vontade de matar esse Jeán

Para conseguir sua liberdade, Caroline precisa se livrar das garras de seu pai, e se aventura com Bernardo numa fulga muito inesperada para ambos. Nesse caminho vão se deparar com escolhas que não serão fácieis e lhe ensinarão lições impossíveis de se esquecer. A história de amor descrita no livro é algo encantador, que foi emocionante ao extremo. Mas não vou me delongar aqui. Se quiser, leia aqui!

A forma de escrita da autora é maravilhosa. Confesso que não sou fã de narrativas em 3° pessoa pois omite muito os sentimentos dos personagens, prefiro aqueles livros em que há um capítulo para cada personagem. Mas "O Pássaro" foi surpreendente, existe naquelas páginas uma profunda descrição de sentimentos, paisagens, tanto do mundo interno e externo dos personagens, que nem me dei falta de nada, pelo contrário, foi muito - muito mesmo - perfeito! Além de personagens muito bem caracterizados, não são apenas adereços, todos tem um papel vital na história.

Meu eterno agradecimento à Samanta por ter acreditado em mim tão emcima da hora. Sua história é linda e me inspirou profundamente à seguir em frente apesar dos contratempos que surgem na vida. Você tem talento, parabéns, continue acreditando nele!

Enquanto lia...
Duas músicas me fizeram acreditar que era para "O Pássaro" e ouvi essas duas músicas de modo descontrolado.
A primeira foi "Camina Conmigo" um dueto da dupla Ha-Ash com a dupla Rio Roma, que me fez chorar várias vezes pois vi nela a música da Caroline com o Bernardo. E a segunda "Entre Tus Alas" do grupo Camila, que passa esse sensação de liberdade.

Eu Li: Meu Querido Professor

 
Gostaria de começar essa resenha agradecendo minha querida amiga Nath pela maravilhosa oportunidade de ler seu primeiro filhote publicado, e parabenizá-la pela coragem em realizar seus sonhos. Amiga, que mais sonhos venham pela frente e a vontade de realizar todos eles estejam sempre presentes na sua vida.Agora sim, vamos à resenha! rs

Essa é a história de quatro garotas que se encontraram por acaso, mas tinham um amor em comum, e fundaram um clube que tinha um único objetivo: falar sobre os professores das suas vidas.

Até porque, quem nunca se apaixonou por um né?? Bem, euzinha nunca, nunca mesmo... rs Sou uma impaixonável! (essa palavra com certeza não existe mas ela ficou linda aqui! rs). Mas é verdade, já os admirei por sua capacidade de conhecimente e métodos de ensino, porém tudo acabava aí, nunca por sua pessoa.

Blá-blá-blá... mas não estou aqui para falar de mim, mas sim da Júlia, da Bruna, da Amanda e da Isabella, as imaginei lindas e belas, com um auto-astral incrível que tem entre 19 e 21 anos. Tudo acontece numa comunidade da internet mas decidem ampliar isso por dividir suas experiências (ou a falta dela, no caso de algumas) no Skype através de conferências em vídeos.
Um livro bem fininho mas com um conteúdo divertido. O achei bem desenvolvido e bem separado em depoimentos feitos pelas protagonistas; e somos capazes de curtir cada etapa e experiências que as meninas passam.
Senti falta de diálogos, porque ficou muitas lacunas faltando. E temos que imaginar a pergunta que uma ou outra protagonista faz para entender a conversa*. Talvez minha falta de percepção de tudo tenha sido por não conhecer bem o Skype, e nunca ter feito algo similar.
"Ain gente, que vontade de chorar. Como eu preciso de um abraço. Seria tão bom se vocês estivessem por perto. Se conta? Claro que abraços virtuais contam, o importante é a intenção. Enquanto não inventaram uma máquina de teletransporte ou contato físico via internet, a gente vai se virando como pode."
mais ou menos o que sinto pelas minhas amigas virtuais *beijokas*
O livro foi tão bom, tão bom, que eu até encontrei uma personagem bem parecida comigo. E não foi à toa que amei super demais a história dela com o prof°. Minha favorite!!! rs Tomara que saia logo o livro das protagonistas, e que a que eu mais gostei seja a primeira :p

*achei os pensamentos das meninas bem rápidos, o que me torna suspeita pois conheço a autora e sei como ela é apressadinha e tem pensamentos bem parecidos!

Eu Ouço: HA-ASH

Oieeeee peoples!!! Ando bastante sumida, mas hoje deu pra aparecer e compartilhar com vocês meu mais recente vício.
Não é novidade que amo músicas em espanhol, pois são as que entram nos meus ouvidos e me enchem completamente de alegria e esperança.


Ha-Ash é um dueto formado pelas irmãs Hanna Nicole e Ashley Pérez.
Para uma primeira impressão, o nome da dupla é bem estranho mas depois de ouví-las cantando me convenci plenamente da competência delas.
Não preciso nem dizer que me apaixonei loucamente pelas versões ao vivo - minhas preferidas (independente do artista que as interpreta, desde que seja BOM rs) - mas os vídeos são muito bons também, cheias de interpretação e com uma bela fotografia.

O que me levou ao céu ao ouvir as canções da dupla foi a adição do piano nas músicas. Amo piano! Alicia Keys que o diga rs

Quem se interessar, confiram o canal delas no Youtube. #ficaadica

Minhas Preferidas: "Todo No Fue Suficiente" e "Te Dejo En Libertad".