Eu Li: I Heart You, You Haunt Me

 
Ai meu deus, o que dizer desse livro?! Com certeza, "I Heart You, You Haunt Me" vai ser um dos mais difícies de resenhar, pois é tão fofo, de uma sutileza indescritível.

Lisa Schroeder fez um trabalho incrível escrevendo esse livro em forma de poemas. Ficou uma gracinha, tanto para ler como na diagramação.

Nele encontramos a trágica história da "garota-encontra-garoto, e garota-perde-garoto e fica deprimida". Mas falar isso seria muito pouco porque os sentimentos da Ava são tão intensos e descritos de um modo tão triste, que te deixa triste também, como se tudo tivesse acontecendo agora e com você. Pelo menos foi isso que eu senti. E tenho a certeza que se eu lesse esse livro daqui há alguns meses sentiria a mesma coisa, a tristeza de Ava por estar perdendo Jackson.

O livro não tem capítulos mas tem títulos em cada poema, e é através deles que Ava nos conta a felicidade de ter conhecido Jackson e como ele se tornou tão especial e único na sua vida.
"“Eu amo preto,” eu disse.
“Combina comigo.”
“Eu combino com você,” ele disse."
O drama que ronda tudo não faz nada ser intragável, mas torna cada página muito especial.
Ava também tem amigas muito leais que sempre que possível - e quando ela deixa - estão presentes. Cali, Zoe e Jessa sabem exatamente como sua amiga se sente e fazem o máximo para tornar tudo melhor, na medida do possível, tentando tirá-la de casa, querendo que ela retorne para sua vida "normal". Só que para Ava não existe nada de normal sem Jackson.

"I Heart You, You Haunt Me" fala sobre amar alguém perdidamente, perder tal pessoa, se curar e deixá-la ir. Isso me fez refletir demais na importância de deixar que as pessoas sigam seu caminho mesmo sem agente como companhia. Sei que é triste nos afastar de alguém que amamos ou nos desapegar, porém existe uma imensa grandeza nisso. Pois como Dalai Lama diz: "Dê a quem você ama: asas para voar, raizes para voltar e motivos para ficar". Não como no caso da Ava, que com a morte não tem como a pessoa voltar, mas em como nós podemos sufocar as pessoas com nossos sentimentos mais profundos.

"J ama A
A ama J
Rabiscos que eu fiz
em meu caderno de francês.
Eu estudei as palavras
no caderno roxo
como eu costumava estudar
o rosto de Jackson
quando ele não estava olhando."

 Muito lindo! Super recomendo.

7 comentários

Máh disse...

Ai que fofura! Amei! Será que tem previsão de lançamento aqui no Brasil?

Beijos!

http://stormofbooks.blogspot.com.br/

Marcelo Lima disse...

Quero ler. Sem mais!

Babi Lorentz disse...

Achei uma fofura, mas acho uma pena eu não me dar bem com a leitura de poemas, Lisse, rs.
Beijão

Lis disse...

Esse livro é tão lindo, quando eu li chorei do começo ao fim, e olha chorei muito viu, lendo a resenha deu vontade de reler.

Adorei os trechos que você colocou.

Beijos
Lis - Batalha Literária

Evellyn disse...

Ownti!
Esse livro foi bem comentado assim que saiu, a capa é interessante e eu sempre acho boa essa proposta de fantasma... Mas quando li que ele tem essa narrativa em poemas me afastei da vontade de ler... Sei lá, não sou fã e não sei se conseguiria ler assim.. Tenha a impressão que não fica mt 'real' rs
Amei o 1º quote, já o 2º é mt 'poemático' rs
Mas sua resenha está linda e concordo mesmo com essa frase do Dalai!

bjs
Eve

PS: Vc tá mesmo lendo Coffeehouse Angel? OMG! Eu comecei a ler um ebook dele ha mais de um ano, mas eu e ebooks não está mais dando certo! Mas o pouco que li pareceu bem divertido!

bjs
Evellyn!

Carol disse...

Oi Clarisse, tudo bem?
Talvez você não se lembre de mim mas te conheci na bienal...
Adorei sua resenha e tenho tanta vontade de ler esse mas fico sempre com o pé atrás porque me lembro de Te amo, te odeio, sinto tua falta (acho que é assim que é o nome) que não gostei muito...
Seu blog é ótimo! Estou te seguindo =)

Beijos.
#Resenha falada.

Brunna Vieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.