Eu li: Strange Angels

 
Título: Strange Angels - O Resgate
Autora: Lili St Crow
Editora: Novo Século
N° de Páginas: 288

Sinopse: Dru Anderson se acha estranha por mais tempo do que é capaz de se lembrar. Ela viaja de cidade em cidade com seu pai, caçando coisas que nos aterrorizam à noite. Era uma vida bem esquisita, mas boa – até que tudo explode em uma cidade gélida e arruinada de Dakota, quando um zumbi faminto arromba a porta da cozinha. Sozinha, aterrorizada e sem saída, Dru vai precisar de cada pedacinho de sua esperteza e treinamento para continuar viva. Seres sobrenaturais decidiram ser os caçadores – e desta vez, Dru é a presa. Chance de sobrevivência? De pouca a nenhuma. Se ela não durar até amanhecer, acabou a brincadeira…


Quando começei a leitura de Strange Angels não o considerei um livro muito promissor, por muitos motivos, mas depois de muitooooo tempo - tipo um mês - terminei! Uffa.

Fiquei muito chateada pela autora usar de coisas clichês logo no começo. Sempre a mesma coisa no sobrenatural né: a garota que é nova na escola, que vive se mudando com o pai, e blá blá blá... Dru Anderson é órfã de mãe, tem 16 anos e ajuda seu pai a caçar seres sobrenaturais. Quando seu pai some por uns dias, sua vida muda bastante.

Odiei as lamentações dela sobre a vida, sobre como o seu pai a vê como uma criança, e suas longas descrições da infância. Apesar de levar uma vida muito solitária pois não tem ninguém em sua vida; tudo isso foi me irritando. Eu adoro um monólogo de várias páginas - e como gosto! - , mas quando não tem nada de atrativo para contar é bem cansativo né? 

Mas em outros momentos a autora mudava o disco e tornava a personalidade da Dru bem legal. Mostrava ser uma garota durona que está armada e perigos, pronta para atirar primeiro e fazer perguntas depois. E isso foi bem legal!

Quote: "A maioria das garotas passam por uma fase "patinho feio", mas estou começando a achar que a minha fase vai durar a vida toda. Isso não me incomoda tanto. Melhor ser forte do que bonita e inutíl. Estou mais para uma garota simples e com a cabeça no lugar do que para uma bonitona"

Considerei a Dru em constante mudança, oscilando muito. Mas que garota de 16 anos estaria muito segura de si? No final de tudo, ela estava se descobrindo.
A mesma ladainha de que "tenho segredos que você não pode saber" continuou me cansando fortemente. E pensava que não seria melhor ela se trancar pro resto da vida?? Aff!
Mas foi aí que Lili St. Crow teve a genial ideia de criar Graves (salve-salve Graves!!! :O) - o gótico-oriental-lindinho - que aparece na vida dela, e as coisas mudam bastante... pra melhor!

Quote: "Eu estava sozinha. O fato de eu ter sido treinada para ser auto-suficiente não me consolava em nada"

Mais uma das características de Graves que eu gosto é que ele é sarcástico e também um pouco esquisito como a Dru! Ele é o carinha legal da estória (que a salvou, literalmente). Por isso que se deram tão bem... mas com ele a Dru se sente segura, como se sua vida estivesse nos eixos denovo.
Ele tem uma entrega pela Dru que é apaixonante. Não é nada tipo "tô te amando não", é tipo "se você pular, eu pulo, mas eu só quero saber onde estou me metendo". E ele estava realmente com ela, para o que viesse, independente se o Mundo Real dela não fizesse nenhum sentido pra ele. Isso foi muito legal! E nos piores momentos onde você acha que ele vai se encolher e sair de fininho, Graves conseguia ser ele mesmo.

Quote: - Você vai ter que fazer tudo o que eu disser.
Para a minha surpresa, ele me deu um sorriso.
- Mandona, você hein? Gosto de garotas mandonas.
Meu deus. Pelo menos alguém ali estava se sentindo melhor.
- Cale a boca. Você vai ter que fazer exatamente o que eu disse. Sacou?

Chegou a ter partes em que eu admirei a Dru profundamente, tanto pela sua inteligência e estratégias para fugir de monstros sinistros, como também pelo seu otimismo. A autora a transforma depois de alguns capítulos. Ela se vê tão dependente de Graves que tudo fica diferente - a narrativa, os pensamentos de Dru, o que ela pensa sobre Graves; e o leitor consegue ver que enfim Dru tem um coração e sentimentos valorosos, e não é capaz de abandonar Graves em momentos difícieis.

Já o Christopher vem para clarear o mundo em que a Dru vive - como seu anjo da guarda. Ele é "o cara", bem decidido e mandão, que tem cheiro de torta de maça (hã?!). Alguns momentos o considerei um idiota com fortes bíceps que não acrescentou em nada. Mas ele tem um papel vital no livro, e gostei muito do final.

A autora tem umas sacadas muito boa que te fazem refletir, como o porquê dos zumbis não falarem. Ela diz que "eles são como vacas sofrendo que emitem um gemido bizarro, forçam apenas o ar através das cordas vocais que foram paralisadas pela morte".  Depois de muita babozeira e encheção de linguiça consegui encontrar algum nexo nas palavras de Lili St. Crow.
Mas tem coisas muito bizarras também. De onde que ela tirou a ideia de que "um corte profundo na cabeça forma casquinha em 53 minutos?" Só se a pessoa tive uma ótima coagulação né, e uma cicatrização ultra-sônica!
E de onde que ela tirou que um ferimento de mordida de lobisomen quando está sarando fica em "um tom de rosa quente, em vez de vermelho-sangue ou amarelo casquinha"? A mulher é surtada!!

A edição em português precisa urgentemente de uma revisão. Contém muitos erros ortográficos, e sentenças sem sentido. Nesse momento quis muito ter o livro original nas mãos para tirar minhas próprias conclusões.

Talvez não leia a continuação, mas deixo a dica aqui para quem quer um sobrenatural bem diferente. Porque Dru não é a super heroína, ela é só uma garota "normal" que tem uma descendência a zelar!

E no final das contas eu até recomendo (mas só por causa do Graves! rsrsrs).

P.S: Agradeço à Luana pela paciência com a minha lerda leitura, pois o livro faz parte do Book Tour do Partes de um Diário. Thanks Darlin!
Agradeço também à Thais Priscilla pelo incentivo. Juro que se não fosse por ela eu teria devolvido o livro sem ler. Thanks! :)

8 comentários

Thais Priscilla disse...

haha.. você gamou no Graves u_u
eu prefiro o Christophe mas enfim.. ainda quero ler a continuação!

Luana Farias disse...

Bah Graves salva tudo mesmo, eu até que gostei quero ler a continuação, só não gostei da revisão e também não gostei das partes em que ela falava do gosto da boca, aquela sim matou a pau!! Sem problema acontece.

Bjs

Aione Simões disse...

Que pena que a revisão peca assim e que você não gostou tanto do livro!
De qualquer forma, não é uma leitura que chama demais minha atenção!
Beijos!

Raffafust disse...

Com ctz já tinha imensa vontade de ler esse livro e agora só triplicou!

tenho os marcadores e acho tão linda essa capa

bjos
Raffa Fustagno
http://livrosminhaterapia.blogspot.com/

Derilajc disse...

Ah não! Esse tipo de literatura não é pra mim. Nunca gostei de livros sobrenatuarais ou de fantasias. Vampiros então, urgh! Nada contra quem gosta, mas definitivamente não é a minha praia.
O mais perto que eu já cheguei de ler um livro desse tipo, foi quando peguei Fallen emprestado de uma amiga, mas não consegui ir além das duas primeiras páginas.

Niii disse...

tenso lisse! huahua
eu tbém acho que não vou ler o próximo! não gostei. Não é tão ruim, mas esperava mais!
tbém li a edição em port e tá um nojo! huahuaha
e é incrível como esse povo de YA tem problema com os pais! haha

bjs

Mary! disse...

Não gostei deste livro. Ainda bem que comprei numa promoção, e que consegui trocar por outro livro.
Lindoooo seu blog!

Juh Oliveto disse...

Eu adorei Strange Angels justamente porque a Dru é uma protagonista NORMAL. Cheia de dúvidas, incertezas, ações comuns... E concordo que o Graves a ajudou muito a melhorar no desenrolar do livro XD

Christophe dispensa comentários. <3

Só mais uma coisa: ainda bem que li em inglês, porque o que vi de gente ODIANDO a história por causa da tradução não está no gibi...

Beijocas!
Juh Oliveto
Livros & Bolinhos ~