Lock & Key - Sarah Dessen

Oie pessoal, tudo bom??

Domingo é dia de Sarah Dessen aqui no Livro... Filme... Música. Estou ficando um pouquinho triste por que já está acabando!! Quem me fez cair na real foi a nossa colaboradora de hoje, a Dayse. É gente, falta só mais dois livrinhos e fim. Triste isso, muito triste...

Mas enquanto não acaba vamos aproveitar né! Como disse, hoje a Dayse tá na área, é com você! (Se quiser saber mais sobre ela, você pode clicar em qualquer uma desses links, ou em todos: Escrevendo Um Livro, Just Listen e Dreamland).

Oi gente, Dayse aqui de novo. *ouve o coro de vozes infantis dizendo “Oi Dayse!”* Ah, qual é, gente, vocês conseguem fazer melhor que isso! OOI! *ouve o coro de vozes gritando “OOOI DAAAYSE!!!”*
Ah, muito melhor. Ok, então. O livro da vez é Lock & Key. Comecemos, como sempre, com informações técnicas e oficiais.



Lock & Key (2008) é oitavo livro da Sarah Dessen e tem 422 páginas. Na época que o livro foi lançado, a Sarah fez umas 34762378 promoções dando colares com um pingente em formato de chave e cadeado. Eu não ganhei nenhum na época (*suspiro*). MAS agora tem um gift set a venda que vem com 3 livros dela mais o tal colar. Estou pensando seriamente em extorquir tal box de algum parente no Natal*, testar o quanto eles me amam. Quando a Sarah estava escrevendo o primeiro livro dela, That Summer (1996), ela morava em uma pequena casa amarela. Certa vez, ela estava passando pela vizinhança, e viu que a casa tinha desaparecido. Não ocupada por outras pessoas, não reformada, mas desaparecido. Tinha sido demolida pra dar espaço a um condomínio de mansões. Ela ficou lá na estrada, sem acreditar no que estava vendo. Então ela começou a pensar no tanto que as coisas podem mudar em tão pouco tempo. E foi isso que inspirou a história do livro. Aqui vai a sinopse oficial: Ruby está acostumada a cuidar de si mesma. Mas agora que ela está vivendo em uma nova casa com sua irmã Cora – uma irmã que ela não via há 10 anos – e seu marido Jamie, criador de um dos mais populares sites sociais da internet. Ela está estudando em uma escola particular, usando roupas novas, e pela primeira vez, sente a promessa de um futuro que inclui faculdade e sua família. Então, porque ela está tão desconfiada? E o que o Nate – o fofo e bom vizinho – está escondendo atrás de sua natureza geniosa? Quando Ruby começa a ver, tem uma grande diferença entre receber ajuda, e ser capaz de aceitá-la. E às vezes, para poder salvar a si mesmo, você tem que alcançar um outro alguém.

Hmm. Intenso, né?


Tá bom, então eu tenho uma confissão a fazer. No fandom da Sarah Dessen, esse é o um dos livros menos amados (perdendo só pra Along For The Ride). O engraçado é que de todos, esse foi o que mais me fez chorar (perdendo só pra The Truth About Forever). A grande questão é: ele tem um ângulo diferente. A gente tá acostumado a ver a Sarah Dessen escrevendo sobre pessoas da classe média passando por dificuldades muito intensas como gravidez na adolescência, abuso de namorados, anorexia e até mesmo estupros (não vou especificar em quais livros exatamente essas coisas acontecem, porque né, spoilers). Em outros livros, a Sarah focaliza bastante em perdas e solidão. Nesse caso, é exatamente o contrário. A Ruby foi “salva” de uma mãe abusiva logo no começo da história, foi morar com gente MUITO rica e começou a dar uns pegas no garoto gatinho que mora na casa ao lado. O que me tocou nessa personagem, porém, foi o fato de ela ser negativa sobre tudo. Ela não aceitava as coisas boas que aconteciam com ela, ela queria voltar a vida ruim, como se ela não merecesse ser feliz. Outro motivo de eu ter chorado baldes nesse livro é o relacionamento que a Ruby tem com a irmã dela e o cunhado, o Jamie. Na maior parte do livro, o Jamie é o mais legal, porque tem essa tensão entre a Cora e a Ruby, já que a Cora a tinha “abandonado” 10 anos atrás. Mas teve uma hora que a Ruby realmente pisou na bola e o Jamie ficou MUITO grilado (com razão), e essa é minha preferida:


“Quer dizer,” Jamie continuou, sua voz balançando as paredes, subindo até o alto teto acima de nós, “que tipo de pessoa simplesmente vai embora, desaparece, sem telefonar, nem se importando que alguém pode estar se perguntando aonde ela está? Quem faz isso?”

No silêncio que se seguiu, ninguém disse palavra alguma. Mas eu sabia a resposta.

[Pequeno monólogo em que a Ruby se descreve como uma pessoa horrível que não merece mais nada, etc etc]


Mas quando eu abaixei as minhas mãos dos meus olhos pra dizer isso tudo pro Jamie, eu me dei conta que não podia mais vê-lo. Minha visão estava bloqueada por minha irmã, que tinha se movido pra ficar entre nós dois, uma mão estendida nas suas costas, para mim. Vendo ela, eu lembrei de todas as outras milhares de noites em outras casas: só nós duas juntas, outra parte de um padrão, só que um padrão que eu pensei que havia se rompido há muito tempo, para nunca ser repetido novamente.

Sobre o nome do livro, vem da seguinte história. A Ruby carregava a chave da casinha amarela (na qual ela morava junto com a mãe) em um cordão em volta do pescoço. Quando ela foi morar com a Cora e com o Jamie, ela estava se sentindo mimada demais, e decidiu arranjar um emprego no shopping. Ela foi contratada pra ajudar uma moça que tinha um quiosque de vender bijuteria. Essa mulher gostou do cordão com a chave que a Ruby usava, e fez uma linha de colares de chaves e cadeados. É claro que também tem todo um sentindo metafórico, de você criar coragem de entregar a chave pra abrir o seu cadeado para aqueles que você ama (SEM PENSAMENTO IMPUROS, CRIANÇAS), mas é basicamente isso.

E como eu sei que vocês já estão perdidamente apaixonadas pela Sarah Dessen, não esqueçam da nossa revolução literária, twittando a frase: "Quero os livros da @sarahdessen publicados no Brasil!! Eu apoio essa ideia... http://migre.me/1SQMk"

Bem, e é só. Mais uma vez um texto pergaminho, como a Lisse chama. QUANDO É QUE EU VOU APRENDER A SER OBJETIVA, MEU DEUS?! Espero que não tenha sido chato demais. Obrigada se você leu até aqui, e até a próxima resenha!

P.S.: Se você virar mesmo fã da Sarah e ler os livros na ordem certa, você também vai gostar desse livro por ter MUITOS easter eggs, ou seja, surpresinhas de outros personagens de livros anteriores. Tipo, MUITOS MESMO.

Beijos,

Dayse D.

Aii gente, estou cada vez mais apaixonada pelos livros da Sarah, e tudo é culpa dessa aí emcima - a DAYSE - ela tem a máxima culpa na minha obsessão. Tá, não toda a culpa, eu já era maluquinha mesmo, ela só acrescentou mais 50% do que me tornei. kkkk

Se você também estiver obcecada como eu, pode levar o banner e divulgar onde quiser, pode ser no seu blog, no Twitpic (não esqueça de citar meu twitter @Lisse_Cunha), a escolha é livre.




XOXO, da Lisse

* Quando a Dayse me mandou a resenha foi muitoooo antes do Natal. Será que ela ganhou o box?

3 comentários

Dayse Dantas disse...

SIM SIM, GANHEI O BOX! Mas como pedi no Book Dep, vai demorar una 476239875697852369876 anos pra chegar. Mas mesmo assim, ganheeei :D

Miriã disse...

Oii...entrei no seu blog por causa do nome..
só pq tem tudo q eu amo, livro, filmes e musicas..pra completar só faltou as séries ahahahahhaha

Já ouvi muito falar da Sarah Dessen, estou ficando muito curiosa para ler os livros dela, vou colocar na minha listinha desse ano.

eu comecei um blog agora, depois quando tiver um tempinho passa lá pra ver o q acha..

alessandra disse...

Oii,voces podem me mandar o link para comprar o box que vem junto com o colar? nao consegui achar
brandaoalessandra@hotmail.com