Eu vi: A Duquesa

segunda-feira, janeiro 10, 2011


Ficha Técnica
Título Original: The Duchess
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 110 minutos
Ano de Lançamento: 2008
Estúdio: Paramount Vantage / Pathé / BBC Films / BIM Distribuzione / Qwerty Films / Magnolia Mae Films / Pathé Renn Productions
Direção: Saul Dibb
Roteiro: Jeffrey Hatcher, Anders Thomas Jensen e Saul Dibb, baseado em livro de Amanda Foreman
Produção: Michael Kuhn e Gabrielle Tana
Música: Rachel Portman
Fotografia: Gyula Pados
Desenho de Produção: Michael Carlin
Direção de Arte: Karen Wakefield
Figurino: Michael O'Connor
Edição: Masahiro Hirakubo
Efeitos Especiais: Rainmaker


Georgiana Spencer (Keira Knightley) casou-se aos 18 anos com o Duque de Devonshire (Ralph Fiennes), que queria a todo custo ter um filho. Possuindo o título de Duquesa de Devonshire, logo Georgiana demonstrou sua inteligência e perspicácia perante a corte inglesa. Entretanto ela não conseguia dar ao duque um filho, com todas as suas tentativas de ficar grávida resultando em abortos ou em filhas. Isto faz com que o relacionamento entre eles se deteriore de acordo com o tempo.

Demorei muito para ver o filme, visto que eu sou apaixonada pelos filmes da Keira. Não existe uma atriz tão boa quanto ela, que é capaz de dar vida a uma personagem de época atrás da outra e não soar igual. Quem já viu Desejo e Reparação, Orgulho e Preconceito, Amor ao Extremo, Orgulho e Preconceito, Paixão Proibida e Piratas do Caribe sabe do que eu estou falando.

A Duquesa foi um filme espetacular! Primeiro já me surpreendi pelo filme ser baseado no livro de Amanda Foreman, "A Duquesa de Devonshire", que eu nem sabia da existência de tal obra. O longa se passa no século 18, e retrata a mulher que foi a Srta e depois Sra. Georgiana Cavendish - uma mulher à frente do seu tempo.

Logo no começo do filme somos já apresentados a jovem Georgina que é impulsiva, sonhadora, cheia de vida e sente o desejo de ser amada. Mas que é logo casada pela mãe aos 16 anos com William Cavendish, o duque de Devonshire, com o propósito único e maior de lhe dar um herdeiro homem. Sua mãe, Lady Spencer (vossa realeza, Charlotte Rampling) tem planos melhor de vida estável e aconselha a filha e enfrentar o casamento e as relações sexuais como “necessárias” (coisa que aliás eu achei repugnante, diga-se de passagem!).

Ainda não consigo entender como naquele tempo as pessoas só casavam para procriar. Não existia um propósito maior que isso. Nada de amor, sentimento, paixão. Tudo o que existia além disso era ilícito, proibido?? Arghhhh. Tá parei! Desculpa!


Logo tal casamento sem amor passa a ser pura aparência e ser baseada de que cada um tem que manter a sua própria honra. O que leva a Duquesa criar um grande círculo de figuras literárias e políticas, participou ativamente de campanhas políticas.
A trama baseia-se nos bastidores da vida de Georgina com o marido, homem peculiar, que pouco fala e que seu único interesse é ter um herdeiro. Com isso em mente, o duque não mede esforços em engravidar sua esposa. Após duas meninas e dois nascimentos mortos, G, apelido dado pelo marido, consegue o intento, mas seu relacionamento já está totalmente fracassado e seu amor próprio em fragalhos. A personalidade apática e fria do seu "marido" me fez ter muita raiva.

A Duquesa não ficou apenas nos bastidores. Como a mulher forte que era mergulhor de cabeça na vida social da época. Georgiana Cavendish não ficou famosa somente por seu casamento, como também por sua beleza e estilo, sua campanha política e sua paixão por jogos de azar. E seu estilo foi o que eu mais gostei. Ela realmente ditava as regras de beleza na época, isso é até mesmo falado no filme, que onde estivesse no dia seguinte as mulheres estariam imitando seu modo de ser vestir ou o modo como usariam os cabelos. E vemos tais mudanças ao longo do filme. É impossível não falar dos figurinos e caracterização dos personagens, que é um espetáculo.

Para mim triste foi ver que no fundo Georgiana era uma mulher infeliz que encontrava sua felicidade nos filhos. É muito penoso para uma mulher ver que não é amada. Porém, foi bom ver onde ela encontrou o amor que vai além dos filhos. Não vou falar sobre esse ponto, deixo para quem quiser alugar o filme e ver por si mesmo.



Recomendadíssimo!

XOXO, da Lisse

5 comentários:

Evellyn disse...

Sabe,
tb sou super fã da Keira! eu ia falar justamente isso, que ela faz mt filme de epoca - e só filme famoso - e nem assim a gente acha que é a mesma personagem....
Ainda não tinha prestado atenção nesse filme, mas agora vou procurar assistir, a historia parece bem interessante mesmo...
Cada coisa que acontecia antigamente..... tsc
bjs
♥ Evellyn (heyevellyn.blogspot.com)

.Niii. disse...

Ai que vontade de ver!
Adorei a capa!
Gosto dos filmes da Keira!
Lisse indiquei vc ao meme "expectativas literárias" okay!?
Bjos

Beli disse...

Nossa! Fiquei com votade de ver tb... adoro filmes assim....
Boa recomendação Lisse! =)

bjuss

Vida, Livros e Pensamentos disse...

Em que século se passa o filme, Lisse, vc sabe?

Já apaixonei pelo figurino, vale a pena ver só por causa dele!! Além de todos os outros motivos que vc falo, ne? :p

Amei! Amo filmes de época! Vc já viu Maria Antonieta? É no mesmo estilo!
Bjuss

Tamires Ferreira. disse...

Seu Blog é um verdadeiro mimo!Empolgadíssima!!!A minha atriz favorita é a Keira Knightley.Ela consegue atuar de maneira perfeitamente adequada de acordo com cada personagem.Dando vida e autenticidade a eles.A Duquesa é um filme realmente forte.De beleza e história singular,com um final bastante realista e interessante.E realmente as relações sexuais são repugnantes;e aquela parte que ela vê ele e a ''amiga'' dela juntos?argh!Acho que não gostei tanto desse filme como os outros porque o relacionamento dela com o duque é ridículo.Uma das coisas que mais me atrai nos filmes de época é o figurino!E nossa,esse filme não deixa a desejar!A duquesa é muito estilosa(com aqueles cabelos gigantescos)e aquelas roupas super super.O final é um pouco tenso,mas pelo menos ela tinha os filhos.Mas em suma esse filme é muito bom!







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!