Dreamland - Sarah Dessen

domingo, dezembro 26, 2010

Oie, pessoal? Bom dia!

Domingo aqui no blog é igual a Campanha Sarah Dessen. Se você ainda não sabe em que consiste é só clicar aqui que vou te direcionar para todos os posts da campanha. E voltamos a contar com a participação mais que especial da Dayse, que já apareceu aqui resenhando Just Listen e Escrevendo um livro (texto), onde você pode curtir antes da resenha um pouquinho sobre ela. Então agora é com você Dayse...

"Não é como se a Sarah não levasse a nossa curiosidade em consideração. Isso é mais um motivo pra se tornar fã dela. Ela não se interessa muito em escrever continuações, mas todos os livros dela são baseados em volta de uma mesma cidade fictícia, Lakeview. Então, vez ou outra, se você prestar atenção, ela trás de volta algum personagem, por um ou dois minutos, só pra você ficar tranquilo, saber que está tudo bem.

E é por isso e várias outros motivos (todos inclusos em cada post de blog que ela vem fazendo desde 2006) que eu tenho vontade de ter os livros da Sarah Dessen traduzidos no Brasil. Muitos amigos meus (que não são tão bons no inglês) se interessam simplesmente pela sinopse dos livros que eu, desajeitadamente, conto de passagem. Eu já mandei e-mails pra editoras, mas só recebi reposta uma vez, anos atrás, da Record, dizendo que os livros da Sarah estavam em fila pra ser traduzidos. Mas até hoje, nada. Eu prometo pra vocês, ela vale a pena. É uma leitura rápida, fácil e bonita. É daqueles livros que tem frases que você guarda no coração pra sempre, e personagens não tão fora de alcance. Uma vez na vida, quando você lê um livro da Sarah, você acredita que caras “perfeitos” assim existem. Porque no fim das contas, eles não são perfeitos, mas têm coração, e é o que conta."

Oooi gente! Cá estou de novo, com uma nova resenha.

Então, vou ser sincera, ok? Quando a Clarisse me contatou pela primeira vez, me perguntando se eu me interessava em fazer resenhas dos livros da Sarah Dessen, eu estava morrendo de medo de escrever uma sobre Dreamland. Isso porque, de todos os livros da Sarah, Dreamland é o mais tenso. 
 
Eu sei, eu sei. Tecnicamente falando, todos os livros da Sarah são meio tensos. E se você já leu Just Listen, sabe que lá descreve os problemas mais intensos que um jovem pode ter. Mas a diferença é que geralmente nos livros da Sarah, existe o problema, mas ele está meio que no passado, e a personagem está lidando com as consequências desse problema. Está tentando superar as coisas pela qual passou, seguir em frente com a vida. Ou seja, por mais tensas que as coisas sejam nos livros da Sarah, sempre tem um tom otimista.
Mas não com Dreamland.
Ok, mas estou me apressando. Vou colocar as informações técnicas, como sempre.

Dreamland (2000) é o quarto livro publicado da Sarah Dessen. A história dos personagens principais (Roger e Caitlin) estava na verdade em outro livro que a Sarah escreveu e achou muito ruim (ela tem uns assim, pegando poeira no escritório dela). Até que um dia ela estava lendo um livro e viu a palavra Dreamland e de repente a história da Caitlin começou a se formar de novo, junto com as histórias dos outros personagens do livro. E desde o começo a Sarah sabia que seria um livro diferente, porque tudo na história pedia pra ela ir um pouco mais fundo, a ponto de ela quase desistir inúmeras vezes, porque montar personagens como a Caitlin exige muito emocionalmente. Mas felizmente ela conseguiu. E eu ouso dizer que se o livro foi difícil de escrever, e também difícil de ler. Mas vale a pena aguentar até o final. 
 
Sinopse: Rogerson Biscoe, com seus olhos verdes e cabelo escuro encaracolado, é absolutamente sedutor. Logo, Caitlin, de 16 anos, está sob seu encanto. E quando ele começa a abusá-la, ela se encontra fundo demais para poder sair...
A pobre da Caitlin está passando por uma fase difícil, tentando não ser sua irmã (que tinha acabado de fugir) e tentando encontrar um lugar na sua escola e na sua família. É aquele sentimento conhecido, de não ser reconhecida no seu ambiente.

Quando ela conhece Rogerson, ela conhece esse garoto falho que a aprecia mas que ao mesmo tempo não sabe lidar com relacionamentos. Esse livro é tão confuso, que a gente não consegue nem odiar o Rogerson. Não me entenda mal, ele não daqueles personagens que te deixam caidinha, mas você entende ele.

Esse livro não tem vilões, por assim dizer. Ele tem situações de escolhas, e na maior parte do livro, as escolhas feitas são erradas. É muito difícil você ler um livro em que todo mundo está errado, e parece que nada vai ficar bem. Isso acontece na maior parte do livro, e eu sei de muita gente no fandom que não aguentou e largou ele no meio. Acho que isso faz parte do processo de leitura de Dreamland. Você passar por todas essas dificuldades com a Caitlin, literalmente afundar com ela. Muita gente não consegue, porque na teoria livros são supostamente um escape da vida real. Ninguém quer ler um livro que te faz se sentir mal. Mas eu prometo, seja lendo Dreamland, ou qualquer outro livro desse tipo (como os da Laurie Halse Anderson), no minuto que você lê a última página, você se sente melhor. O livro não precisa necessariamente terminar bem, e pra ser sincera, poucas vezes eles terminam bem, mas ele termina melhor, se é que você me entende. Como um primeiro passo para um final mais feliz. Você não sabe o que vai acontecer com os personagens dali em diante, mas se sente permitido a ter esperanças.
 
É assim que Dreamland termina e é isso que ele significa pra mim. É um livro muito bom e provavelmente um daqueles livros que professores de ensino médio passam pros alunos lerem e escreverem analises depois que o autor morre. Eu não sei se posso considerar isso um elogio, já que eu odiei metade dos livros que tive que ler no ensino médio, mas enfim. Espero que não tenha amedrontado vocês!

Beijos,

Dayse D.

Drama, drama, drama é tudo o que eu quero. Sou viciada nisso, se um livro pode me fazer chorar corro para as livrarias para tê-lo bem pertinho de mim. Definitivamente essa é uma síndrome que eu adquiri com os livros do Nicholas Sparks, e a Sarah está me fazendo andar pelos mesmos caminhos.

Dayse, muito obrigada por mais uma participação aqui no LFM e comentem pessoal, comentem bastante. Pode dizer o que gostou, o que não gostou, quais suas expectativas.

XOXO, da Lisse

9 comentários:

Léka disse...

Adorei a resenha =]! Muito bem escrita e estruturada. Ainda não li nada da Sarah Dessen, mas com essa série de resenhas dos livros dela, fui convencida, vou dar uma chance!

Adorei a oportunidade de saber mais sobre esses livros! E peço uma sugestão: a partir de qual dos livros de Dessen é melhor "ser iniciada" rs?

:**,
Léka

Nanda Meireles disse...

Caramba!

Já tinha visto a sua campanha, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha dos livros da Sarah.

Primeiro quero dizer que adorei a forma como a Dayse resenha. Muito bom!

Agora sobre o livro, eu achei a história bem intensa. Eu concordo que para um livro ser bom ele não precisa ter final feliz.
Mas sou o tipo de leitora impressionável, eu me abalo demais com personagens sofridos e desfechos tristes.
Não curto muito o Nicholas Sparks e temo não me identificar com o estilo da Sarah.
Entretanto, só posso afirmar depois de ler ao menos uma de suas obras. Gosto quando o autor interliga seus personagens, permitindo-nos conhecê-los aos poucos em cada um de seus livros.
Quando tiver uma opinião formada, passo por aqui e divido com vocês.
Beijos

Clarisse Cunha disse...

Dayse, essa é mais outra resenha que vc me faz ficar de boca aberta. Dreamland parece ser muito especial, fora as observações que eu já te disse.

Além dessa capa ser muito bonita, o seu significado parece ser intenso. Adoro um drama para variar né!

Obrigada por poder contar com vc e com todas as suas opiniões sinceras e divertidas.

XOXO, da Lisse

Dayse Dantas disse...

Lisse, o prazer foi todo meu! qualquer desculpa pra poder falar da Sarah, eu aceito!
beijos

Beli disse...

Ah! Adorei a resenha mais uma vez!
Puxa! eu tb adoro um drama!
Mas um livro q merece ser lançado por aqui! Vamos torcer! \o

bjusss

.Niii. disse...

Adoreiiiii
Ainda não li dreamland
Já está entre os meus presentes de natal! hehe
Bjocassssssss

Ana Carolina Nonato (BLOG O DESAFIO DE CADA DIA) disse...

Olá!

Achei a resenha incrível, mas não posso ler livros assim, senão entro em depressão literária e lá se vai a minha leitura do ano pelo ralo, rs.

Abraços e sucesso!

Barbara disse...

GENTE. Ok, minha opinião: Dreamland é o melhor livro da Sarah Dessen.

Como a Dayse disse, exige muito emocionalmente, mas vale a pena. É um daqueles livros que você sente a dor da personagem, sei lá. Não deixem de ler :)

Luana Costa disse...

Adoro dramas, mas de preferencia com finais felizes. Sempre me apego aos personagens, se não me identifico com eles, me imagino sendo a melhor amiga, conselheira sem voz ativa rsrs ou fada madrinha impotente, meu coração fica pequenininho :(
Mas é sempre bom aprender com os erros alheios e depois o N.Sparks me abriu os olhos para um novo mundo!!! Bjs..







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!