Eu li: Calafrio

quinta-feira, setembro 30, 2010




Estou aqui na minha aula de modelagem, meu triste da vida, cansada; mas não estou conseguindo me conter: PRECISO ESCREVER ESSA RESENHA!

"Quando chega o inverno, Grace é atraída pela presença familiar dos lobos que vivem no bosque atrás de sua casa. Ela espera ansiosamente pelo frio desde que fitou pela primeira vez os profundos olhos amarelos de um dos lobos e sobreviveu ao ataque de uma alcatéia. Esses mesmos olhos brilhantes ela encontraria mais tarde em Sam, um rapaz que cresceu vivendo duas vidas: uma normal, sob o sol, e outra no inverno, quando vestia a pele do animal feroz que, certa vez, encontrou aquela garota sem medo.
Tudo o que Sam deseja é que Grace o reconheça em sua forma humana, e para isso bastaria que trocassem um único olhar. Mas o tempo de Sam está acabando. Ele não sabe até quando manterá a dupla aparência e quando se tornará um lobo para sempre. Enquanto buscam uma maneira de para torná-lo humano para sempre, têm de enfrentar a incompreensão da cidade, que vê nos lobos um perigo a ser combatido.
Calafrio é a história de dois jovens que aceitam correr todos os riscos pelo amor, até mesmo o de deixarem de ser quem são."


São tantas coisas que eu senti ao ler Calafrio, foi a leitura mais sensível do ano; e é exatamente isso que as 338 páginas do livro te passam. Entre suspiros, olhos umidecidos e fortes emoções, cheguei ao fim da leitura com uma única certeza: de que a Maggie Stiefvater é a nova revelação como escritora americana.

Grace Brisbane tem 17 anos e os mesmos desejso e inseguranças das outras meninas da sua idade. Entrar para a faculdade é uma de suas preocupações, mas ultimamente anda dispersa durante as aulas na escola de Mercy Falls, perdida num mundo só seu. Com seu jeito durão e forte, ela já me conquistou de primeira. Muito perspicaz mas também em outros momentos as coisas que ela diz mostra como é sensível e amorosa. Achei sua vida muito solitária, apesar das amigas loucas que ela tem. Uma mãe pintora ausente, que não está nem aí para a hora do Brasil (ou de Mercy Falls, tanto faz!!) e um pai que administra seu próprio negócio, que até onde notei se importa mais com ela do que a própria mãe que a teve. São tão ocupados que veem a vida da filha de 17 anos passar sobre seus olhos e não se importam nem um pouco (isso me deu um ódio mortal!!!). E o que me deixou mais triste foi que a Grace se conformou e se acostumou com a situação de ser negligenciada.

Há seis anos, Grace foi levada por um bando de lobos que vive num bosque vizinho à sua casa. Em meio a uma paisagem congelada e sombria, um lobo de profundos olhos amarelos, deslumbrado por sua beleza, salva a menina do ataque. Desde então, Grace nunca conseguiu esquecer aqueles olhos. Fascinada por esses animais, todo ano ela espera ansiosamente pela chegada do frio para reencontrar o "seu lobo", com quem trava um diálogo silencioso. Ver como a Grace se sente ligada á ele dá até tristeza. Teve momentos em que fiquei com o meu coração tão apertadinho que chegava a doer.

Os anos se passam, e quando um rapaz da escola de Grace é assassinado por lobos, a cidade inteira se mobiliza para caçá-los. Homens armados entram na floresta, e Grace não consegue impedir que eles atirem. Agora era tarde demais, pensou. No entanto, no silêncio do crepúsculo, ao voltar para casa, se depara com um garoto nu, caído na soleira de casa. É nessa hora que conhecemos SAM! Ao fitar seus olhos brilhantes, ela não tem dúvida de que está diante do seu lobo em forma humana. Os dois se apaixonam, e mesmo sabendo dos perigos, Grace está disposta a tudo para viver esse grande amo.


Sam é o ponto mais sensível desse livro. No final fiquei sem saber se ele era o lobo ou se o lobo era ele (meio confuso, não?), eles são tão interligados, são tão únicos que me deixou na dúvida. O amor que une ele e a Grace é a âncora. Totalmente diferente: Como uma humana ser capaz de amar um lobo, um ser que é ausente de sentimentos e de lembranças. Mas o Sam também é diferente nesse ponto; aqueles olhos amarelos tão profundos, tão cheios de sentimentos, de lembranças, que nos provam o contrário de tudo que possamos imaginar. Ele é o amigo ideal, namorado ideal em todos os momentos, até quando está deprimido. Mas também não vou mentir que esse mela-mela deles dois me dava nos nervos mas em outros eu suspirava aos baldes.

Trecho Favorito: "Uma pontada de dor me fez tremer. Não me ocorrera que ele pudesse não se lembrar dos momentos em que era lobo. Não sabia quais as regras daquilo. Sam me estendeu a mãe e eu automaticamente entrelacei os dedos nos dele" (Grace). " Eu me aferrava à minha humanidade - e à minha obsessão por Grace - como um homem que se afoga". (Sam)

Misturando suspense, sensualidade e fantasia, Calafrio é a história de dois jovens que aceitam correr todos os riscos, até mesmo o de deixarem de ser o que são. Está mais do que recomendado.

XOXO,

3 comentários:

Nanda Meireles disse...

Uau! Ainda bem que ele está aqui me olhando e esperando sua vez de ser lido (ou devorado rs).
Show \o/
Beijos

CAROLINA disse...

OI Lisse, quero muito ler esse livro. Não vejo a hora de comprá-lo.

Citei você no blog, espero que não se importe.

Bjoss

Estela disse...

Estou louca pra ler esse livro, nem tive coragem de ler a resenha com medo de ter spoilers, mas parece que é mesmo muito bom!







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!