Eu vi: Uma Prova de Amor

domingo, abril 04, 2010

Quando eu penso em filme em que alguém morre, eu sempre penso em alma gêmea, um casal que se ama e quer continuar vivendo. Fiquei muito surpresa do filme falar sobre laços familiares, o que é muito bom, pois são raros filmes assim.

Outra coisa que me deixou muito surpresa, foi terem dado o papel de mãe para a Cameron Diaz; nunca a imaginei fazendo um filme assim, ela sempre faz aquelas comédias ridículas. Fiquei pasma por ela ser uma mãe tão coruja, e tão zelosa pela saúde da filha, mas também tão desleixada com relação aos outros filhos.

Nesse drama, uma menina chamada Kate (Sofia Vassilieva) tem leucemia diagnosticada. Sua mãe Sara (Cameron Diaz), uma advogada de sucesso afastada do ofício para cuidar da filha debilitada, e seu pai, o bombeiro Brian (Jason Patric), tentam de todas as maneiras reverter o quadro da doença, e quando veem todas as possibilidades cessarem, são aconselhados por um médico a fazer uma fertilização in vitro para que a criança se torne uma doadora. Anna(Abigail Breslin) nasce e desde bebê passa a doar sangue, medula óssea e células para a irmã mais velha. Só que o quadro clínico de Kate não melhora, e a única chance de uma possível recuperação é a doação de um rim. A estas alturas, Anna é uma adolescente de 11 anos e se "encheu" de todo esse processo cirúrgico, então decide ter uma vida normal; ama a irmã, mas quer ter controle do próprio corpo. Procura o advogado Campbell Alexander (Alec Baldwin) e resolve iniciar um processo contra seus pais, pedindo uma “emancipação médica”.

A mãe fica horrorizada com a ação judicial, e como estava acostumada a ganhar todos os casos quando exercia a advocacia, decide a todo custo manter Kate viva. Essa, por sua vez, começa a viver um comovente romance com Taylor (Thomas Dekker), um paciente do hospital que também sofre da mesma patologia. Há ainda o irmão Jesse (Evan Ellingson), que se vê cada vez mais ignorado pelos pais mas tem um papel importante no final.







Outra coisa que me deixou abismada, é que esse filme é baseado num livro. Caramba! eu sempre calho de achar coisas assim. A escritora em questão é Jodi Picoult, que nasceu e cresceu em Long Island. Estudou Inglês e escrita criativa na Universidade de Princeton e publicou dois contos na revista Seventeen enquanto ainda era estudante. Hoje aos 38 anos é autora de onze best sellers e em 2003 foi ganhadora do Prêmio do Livreiro de Ficção da Nova Inglaterra (New England Bookseller Award for Fiction). Os livros dela são lançados no Brasil pela Editora Planeta, mas o livro em questão ainda não foi publicado. Passe lá, dê uma olhada...


















A primeira coisa que eu penso quando vejo filme assim é em como eu tenho uma vida maravilhosa. Em como é bom ter saúde, pais que me amam, pessoas com quem contar, amigos sinceros, uma irmã maravilhosa, e o melhor de todos, ter tempo.
Uma coisa que esse filme me ensinou é que eu tenho tempo, coisa que infelizmente a Kate não teve. E ela com certeza tinha muitos sonhos, muitas vontades que não foram realizadas. Eu tenho tempo, não vou morrer. Sei que não sou invencível, ou imortal, mas pelo menos não tenho uma doença terminal; sei também que posso morrer amanhã mas morreria feliz pois vivi bastante e não mudaria nada na minha vida.
Eu sei que isso é um filme, mas eu sempre surto quando vejo dramas assim, faz minha cabeça rodar e me faz pensar: "E se fosse comigo?", "O que eu faria?"
Eu faria tudo exatamente como ela, sem tirar e nem pôr. Ah tá, poria sim, senti falta de amigos no filme, só aparece ela e a família.
Amei a interpretação da Abigail, ela é simplesmente fantástica. Eu achei que ela não amava a irmã, mas depois tudo se esclarece, e se transforma numa PROVA DE AMOR mesmo. É incrível.
Vejam!!!! Não há como se arrepender...


Bjks,

Lisse

1 comentários:

Evellyn disse...

Amiga...

Vi esse filme esta semana e embora eu não tenha prestado totalmente atenção no inicio, achei o filme lindo, chorei mil litros e ainda estou chocada até agora porque o Taylor morreu e isso tipo... foi triste... Bem, o filme todo é triste, mas pensei na situação da garota tadinha, doente, apaixonada e recebe uma bomba dessas!

Mas o filme é lindo e tem uma mensagem bonita, realmente dificil de se encontrar!
Fiquei LOUCA para ler o livro da Jodi e lembrei de vc o tempo todo!

Esse tipo de filme tb me faz pensar em algumas coisas da minha vida e me sentir mt agraciada por ter saúde e tb que a familia é mt importante!

Bem, esse post é antiguinho e agora o livro já tem por aqui! Vc já leu??

Mil beijos!!
Evellyn!







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!