Túnel do Tempo #1 - Marvin Gaye

sexta-feira, julho 16, 2010



Hoje vou começar uma nova coluna no LFM, chamada Túnel do Tempo. Consiste em falar sobre artistas da música que com seu grande potencial deixaram o mundo da música mas sua alma permanece conosco.

Escolhi falar hoje sobre Marvin Gaye, que é um dos meus cantores preferidos, com uma voz excelente. Let's Get It On é minha música preferida.



Marvin Gaye  mas conhecido como Marvin Pentz Gay, nasceu em Washington em 2 de abril de 1939. Foi um cantor popular de soul e R&B, nascido Marvin Pentz Gay, Jr., foi um cantor popular de soul e R&B, arranjador, multi-instrumentista, compositor e produtor. Ganhou fama internacional durante os anos 60 e 70 como um artista da gravadora Motown.

Ele foi o primeiro filho e o segundo mais velho de quatro filhos do pastor evangélico Marvin Pentz Gaye Sr. e da professor/dona-de-casa Alberta Cooper. Com as irmãs Jeanne e Zeola e o irmão mais novo Frankie, viviam na zona segregada da capital norte-americana, no bairro da Deanwood. Ainda novo, ele era carregador de tacos de golfe no Norbeck Country Club, em Olney, Maryland. O pai de Gaye pregava com pastor na Igreja Adventista do Sétimo Dia chamada House of God (a "Casa de Deus"), que tinha um rigoroso código de conduta misturado a ensinamentos do judaísmo ortodoxo e pentecostalismo. Crescendo na igreja de seu pai, Marvin começou a cantar desde cedo no coral - aos 3 anos - e a tocar instrumentos. A música era uma espécie de válvula de escape para o jovem, que durante toda a infância costumava apanhar do pai diariamente. Durante o tempo em que esteve na high school, Marvin começou a ouvir doo-wop e ingressou no DC Tones como um baterista. Após abandonar a Cardozo High School, Gaye alistou-se na Força Aérea dos Estados Unidos. Após o fingimento de uma doença mental, ele foi dispensado por ter se recusado a seguir ordens.

Após abandonar as Forças Aéreas em 1957, Gaye começou sua carreira musical em vários grupos, mais fixando-se em um popular grupo de Washington DC, chamado The Marquees. Lançaram o single "Wyatt Earp" em 1957 pela gravadora Okeh e foram então contratados por Harvey Fuqua para o grupo The Moonglows. "Mama Loocie", lançada em 1959 pela gravadora Chess, foi o primeiro e único single de Gaye com os Moonglows. Junto com os Moonglows, Gaye assimilou várias técnicas, utilizadas posteriormente, nos álbuns que produziria. E foi com ajuda dessa banda que ele foi apresentado a empresários da cena musical. Foi apresentado a Berry Gordy, presidente da Motown Records. Ele contratou Gaye primeiramente como baterista de estúdio, para tocar para grupos como The Miracles, The Contours, Martha and the Vandellas, The Marvelettes, entre outros. Gaye tocou bateria para as Marvelettes na canção "Please Mr. Postman", em 1961, e para a versão ao vivo de Little Stevie Wonder para a canção "Fingertips Pt. 2", de 1963. Ambas canções alcançaram o primeiro lugar na parada norte-americana da Billboard.

Depois de iniciar sua carreira na Motown, Gaye mudou seu nome de Marvin Gay para Marvin Gaye, acrescentando o '"e"' para se separar do nome de seu pai, para encerrar os boatos em curso em torno de sua sexualidade e ainda para imitar seu ídolo, Sam Cooke, que havia também acrescentado um 'e' ao seu sobrenome. Gaye desejava gravar para a Motown, mas Berry Gordy tinha receio quanto ao cantor, devido ao fato de que Gaye não costumava seguir as ordens sobre as quais a gravadora queria que ele cumprisse. De acordo com um documentário do canal de televisão VH1, a namorada de Marvin - e irmã de Berry -, Anna Berry Gordy, convenceu o irmão a assinar com Gaye. Berry concordou em deixar que Marvin gravasse versões pop-contemporâneas de baladas românticas baseadas no jazz. (Gente mas o cara foi casado hein. Coitado!!)

O início da carreira do cantor foi em 1961, na Motown, onde Gaye rapidamente se tornaria o principal cantor da gravadora e emplacaria numerosos sucessos durante os anos sessenta, entre eles "Stubborn Kind of Fellow", "How Sweet It Is (To Be Loved By You)", "I Heard It Through the Grapevine" e vários duetos com Tammi Terrell, incluindo "Ain't No Mountain High Enough" e "You're All I Need to Get By", antes de mudar sua própria forma de se expressar musicalmente. Gaye é importante por sua luta por produzir seus sucessos, mas criativamente restritivo - no processo de gravação da Motown, intérpretes, compositores e produtores eram geralmente mantidos em áreas separadas.

Com seu bem-sucedido álbum What's Going On, de 1971, e outros lançamentos subsequentes - includindo Trouble Man, de 1972, e Let's Get It On, de 1973( minha música preferida), Gaye, que vez ou outra compunha canções para artistas da Motown no início da sua carreira, provou também que poderia tanto escrever quanto produzir seus próprios discos sem ter de confiar no sistema da Motown. Ele é também conhecido por seu ambientalismo, talvez mais evidente na canção "Mercy Mercy Me (The Ecology)".



Durante os anos setenta, Gaye emplacou vários sucessos, como "Let's Get It On" e "Got to Give It Up". Já no começo dos anos oitenta, seria a vez do hit "Sexual Healing", que lhe rendeu - antes de sua morte em Los Angeles no dia 1° de abril de 1984) - dois prêmios Grammy. Até o momento de ser assassinado pelo seu pai, Gaye tinha se tornado um dos mais influentes artistas da cena soul. Em 1996, Gaye foi homenageado na 38º cerimônia do Grammy Awards.

A carreira de Marvin tem sido descrita como uma das que "abarcam toda a história do R&B, dos anos cinquenta ao soul contemporâneo dos anos oitenta." Críticos têm também afirmado que a produção musical de Gaye "significou o desenvolvimento da black music a partir do rhythm'n blues, através de um sofisticado soul de consciência política nos anos setenta e de uma abordagem maior em assuntos de cunho pessoal e sexual."

E essa é só um pouquinho da história da vida de um artista completíssimo que eu achei no Wikipedia. Porque ele é fantástico! Muitas pessoas  pensam que música como a dele, dos anos 70 e 80 é brega; mas era nessa época que as melhores músicas foram feitas, onde os casais dançavam agarradinhos, onde tinha a verdadeira paquera entre os jovens e onde podia confiar numa pessoa realmente pois ali haveria amor de verdade. Ouvir essas músicas me fizeram uma pessoa melhor, mas conectada com o mundo e com o que acontece à minha volta, e não apenas ao que se apresenta diante do meu nariz.

Espero que todos vocês curtam a SOUL MUSIC, e se não sabem tem muitos artistas internacionais que ainda se interessam por esse estilo como as minhas divas Alicia Keys e Christina Aguilera. E também cantores masculinos que tem na sua música uma levada de R&B como o Ne-Yo. Recentemente um novo artista na música mundial cantou uma canção linda do Marvin Gaye, e gostaria de compartilhar com vocês. Eu sou louca por essa música, e por esse novo cantor, David Archuleta. Confiram:



Gostaram? Quais músicas influencia sua vida? Não esqueçam: Música é Vida!!

XOXO,

2 comentários:

Beli disse...

Eu realmente não conheço esse cantor e nem as suas músicas... se já ouvi, nunca prestei atenção em quem cantava... tenho um sério problema com isso...
Mas vou procurar conhecer suas música!

Anônimo disse...

MUITO BOM O SEU TEXTO. SÓ FALTOU VC FALAR UM POUCO DOS DUETOS QUE ELE FEZ COM TAMMI TERREL, DIANA ROSS E KIM WESTON... ENFIM QUEM SABE EM UM PRÓXIMO.







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!